top of page
Buscar

Moradores do território 5 pedem ações de zeladoria, segurança e habitação

Plenária no Jardim Stella reuniu cerca de 100 pessoas; encontro marcou também mudança no comando da Unidade de Planejamento e contou com a presença de parlamentares

Fonte: UPAE


Na 9º audiência pública sobre a revisão do Marco Regulatório da Política Urbana de Santo André, moradores do território 5 apontaram problemas de zeladoria, segurança, habitação e meio ambiente. Cerca de 100 pessoas participaram da plenária realizada na noite de terça-feira (5 de abril), na EMEIEF Fernando Pessoa, no Jardim Stella. A região é formada pelos bairros: Jardim Bom Pastor, Jardim Jamaica, Jardim Stella, Paraíso, Pinheirinho, Vila Alice, Vila Floresta, Vila Gilda e Vila Valparaiso.


O morador Marcelo Barriga destacou a importância do evento e cobrou ações de zeladoria. “Essa é uma oportunidade para nos unirmos e conseguirmos coisas boas para nossa região. Precisamos de lombadas na Rua Evaristo de Morais. Os carros e os ônibus passam por lá em alta velocidade e podem causar acidentes, principalmente próximo da escola que tem muitas crianças. Também precisamos de revitalização da Praça Júlio Dantas, que é muito utilizada pelos moradores do nosso bairro, que também poderia ter um espaço pet”, reivindicou Barriga.


“Precisamos de mais segurança no nosso bairro. Na Rua Evaristo de Moraes estão ocorrendo muitos assaltos. A Prefeitura precisa ver isso com urgência. Hoje estamos reféns dentro das nossas próprias casas”, ressaltou Mariza Medeiros, moradora há 52 anos do Jardim Stella.


José Natan, morador do Bom Pastor e presidente do Centro Esportivo Bom Pastor, pediu atenção ao poder público para questões de urbanização e regularização fundiária. “Temos duas comunidades na nossa região (Comunidade Lauro Gomes e alojamentos ao longo da Avenida Bom Pastor) que precisam de atenção da Prefeitura. Algo precisa ser feito para as famílias dessas comunidades”, cobrou Natan.


Caroline Tocchet, moradora do Paraíso, a revisão do Marco Regulatório precisa considerar objetivos para o desenvolvimento sustentável estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU). “Estamos falando de propostas para 15, 30 anos. E é muito importante pensarmos a longo prazo e não apenas no agora. Já temos uma discussão mundial sobre isso. As metas já estão lá. Precisamos priorizar estes objetivos para o futuro da nossa cidade”, propôs Tocchet.


Ângela da Silva, moradora da Comunidade Lauro Gomes, cobrou ações de zeladoria da Sabesp e informações da Prefeitura sobre a situação das casas da comunidade. “Quero aqui cobrar a Sabesp pela limpeza do córrego Ribeirão dos Meninos e também pela regularização do esgoto das casas da nossa comunidade. Pois eles cobram pelo esgoto dos moradores, mas não fazem nada. E essa situação é muito pior quando chove forte e enche as casas de esgoto. Também precisamos saber o que a Prefeitura pretende fazer com as nossas casas. Vai regularizar ou teremos que sair? Não podemos ficar na incerteza”, apontou Ângela. Ela também cobrou revitalização da passarela que faz ligação com São Bernardo. “Nossa passarela precisa ser revitalizada urgente. Nosso poste de luz caiu e não foi concertado. E o local é muito escuro e perigoso”, reforçou a moradora.


A audiência também marcou a transição na Unidade de Planejamento e Assuntos Estratégicos (UPAE) da Prefeitura. O superintendente Police Neto deixou a unidade e assumiu a Secretaria de Saúde. A UPAE agora ficará sob o comando de Gilvan Ferreira da Silva Junior, que foi superintendente do Semasa. O evento contou com a presença do vereador Pedrinho Botaro, presidente da Câmara Municipal, e da vereadora Silvana Medeiros.


A próxima audiência do Marco Regulatório será nesta quinta-feira (7 de abril), a partir das 19h, na EMEIFE Arq. Estevão de Faria Ribeiro, localizada na Rua Luís Gomes Pain, sn, no Jardim Marek. Todas as audiências terão transmissão ao vivo pelos canais do Facebook e Youtube da Prefeitura de Santo André. Mais informações sobre o Marco Regulatório aqui.

댓글


bottom of page